Comentário notícia nacional

Metade da população brasileira está acima do peso

Estudo divulgado hoje pelo Ministério da Saúde indica que a proporção de pessoas acima do peso no Brasil passou de 42,7% em 2006 para 48,5% em 2011, enquanto o percentual de obesos subiu de 11,4% para 15,8%. De acordo com a pesquisa, o aumento da obesidade e do excesso de peso atinge tanto a população masculina quanto a feminina.

Em 2006, 47,2% dos homens e 38,5% das mulheres estavam acima do peso, enquanto em 2011 as proporções passaram para 52,6% e 44,7%, respectivamente. Entre os homens, o problema do excesso de peso começa cedo e atinge 29,4% dos que têm entre 18 e 24 anos. Entre homens de 25 a 34 anos, o índice quase dobra, chegando a 55%. Dos 35 aos 45 anos, o percentual é de 63%.

O excesso de peso na população brasileira também está ligado a fatores como idade. O envelhecimento tem forte influência nos indicativos –sobretudo femininos: 25,4% das mulheres entre 18 e 24 anos está acima do peso. A proporção aumenta para 39,9% entre mulheres de 25 a 34 anos e chega a 55,9% dos 45 aos 54 anos.

Em relação à obesidade, 6,3% dos homens de 18 a 24 anos se encaixam nessa categoria, contra 17,2% dos homens de 25 a 34 anos. Entre as mulheres, 6,9% das que têm de 18 a 24 anos são obesas. O índice quase dobra entre mulheres de 25 a 34 anos (12,4%) e quase triplica entre 35 e 44 anos (17,1%). Após os 45 anos, a frequência da obesidade se mantém estável, atingindo um quarto da população feminina.

Ao todo, foram entrevistados para a pesquisa 54 mil adultos em todas as capitais do país e no Distrito Federal entre janeiro e dezembro de 2011. Segundo a Vigilância em Saúde, o objetivo é acompanhar os hábitos da população brasileira e subsidiar políticas públicas.


Senado aprova lei sobre direito de resposta na imprensa

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou hoje projeto de lei que regulamenta o direito de resposta para pessoas e entidades que se considerarem ofendidas pelo conteúdo de reportagens jornalísticas. De autoria do senador Roberto Requião (PMDB-PR), o projeto seguirá para a Câmara dos Deputados, caso não haja recurso para ele ser apreciado pelo plenário.

O projeto determina que o ofendido por uma publicação tenha 60 dias para pedir que publique seu direito de resposta. O veículo de comunicação, por sua vez, tem sete dias para responder. Se as explicações não forem consideradas satisfatórias, o ofendido poderá ir à Justiça, que terá 30 dias para decidir se cabe a publicação da resposta.

O texto assegura ao ofendido que, caso uma matéria seja repercutida por outros veículos de comunicação, ele também poderá pedir direito de resposta a todos que divulgaram a informação. Outro ponto previsto é que uma retratação ou retificação espontânea, com o mesmo destaque e dimensão da reportagem, garante um perdão de se publicar um direito de resposta, mas não anistia um eventual processo de reparação por dano moral.


MPF denuncia primeiro agente da ditadura à Justiça

O Ministério Público Federal encaminha hoje à Justiça processo contra o coronel da reserva do Exército Sebastião Curió, acusado de sequestrar cinco militantes políticos durante a guerrilha do Araguaia, ocorrida entre 1972 e 1975, no Pará. Trata-se da primeira ação criminal contra um agente da ditadura no país.

De acordo com a denúncia, Curió é responsável pelo desaparecimento de Maria Célia Corrêa (Rosinha), Hélio Luiz Navarro Magalhães (Edinho), Daniel Ribeiro Callado (Doca), Antônio de Pádua Costa (Piauí) e Telma Regina Cordeira (Lia).  O processo foi assinado por procuradores da República do Pará, do Rio Grande do Sul e de São Paulo,

A ação acontece um ano após a CIDH (Corte Interamericana de Direitos Humanos) determinar que o Brasil apure e puna os crimes cometidos na época. Segundo os procuradores, testemunhas ouvidas teriam dito que os cinco desaparecidos políticos, que estavam sob a custódia do Estado, foram torturados, retirados da base militar e nunca mais vistos.

Também foram descritos no processo maus-tratos supostamente praticados em bases militares sob o comando de Curió. A procuradoria da República não descarta a inclusão de outras vítimas ou outros acusados no processo. Também há a possibilidade de abrir processos em outros estados brasileiros.


PIB brasileiro se equivale ao patrimônio de 230 milionários

O PIB (produto Interno Bruto) brasileiro cresceu 2,7% no ano passado e passou a ostentar o status de sexta maior economia do mundo, desbancando, inclusive, a Grã -Bretanha. Somou R$ 4,143 trilhões. O valor de toda a riqueza gerada no Brasil em 2011 pode parecer alto, mas não é. Se equivale à fortuna das 230 pessoas mais ricas do mundo. Somos 99,5 milhões de brasileiros economicamente ativos.

Essa pequena amostra da desigualdade social revela o lado mais perverso da distribuição de renda. Mas nós brasileiros vivemos um momento economicamente favorável, ao contrário do que muitos países ao redor do mundo. Entretanto, a alta de 2,7% no PIB de 2011 foi 0,3% mais fraca desde 2009, o ano da crise global, e bem aquém do desempenho de 2010, quando o produto interno bruto registrou crescimento de 7,5%.


Caso Herzog deve ser investigado

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defende a abertura de uma investigação para apurar as circunstâncias envolvendo a morte do jornalista Vladimir Herzog em uma das celas do DOI-Codi, em São Paulo, em 1975. Para ele, a Comissão da Verdade, criada no final de 2011 pela presidente Dilma Rousseff para apurar violações aos direitos humanos cometidas por agentes do Estado entre 1946 e 1988, deveria convocar para depor Silvaldo Leung Vieira, autor da imagem em que o corpo do jornalista aparece pendurado pelo pescoço às grades da cela, mas com os pés no chão.

Em reportagem publicada pela Folha, Silvaldo disse ter sido “usado” pela ditadura (1964-85) para forjar a cena de suicídio de Herzog. Esse depoimento reforça as contestações da versão oficial feitas por historiadores, parentes e testemunhas. A foto, produzida por ordem do Dops (Departamento de Ordem Social e Política), foi divulgada à ocasião para fazer crer que o jornalista havia se suicidado. A investigação poderia ajudar a identificar os responsáveis pela morte de Herzog e pela montagem da cena.

Silvaldo pediu em 2008 à Comissão de Anistia, ligada ao Ministério da Justiça, indenização estimada em R$ 908 mil. Ele alega ter sido perseguido por sua atitude “questionadora” ao voltar a ser recrutado para fazer fotos como aquela. Em 1979, partiu para um autoexílio nos EUA. Seu caso não foi julgado e, segundo Paulo Abrão, presidente da Comissão de Anistia, não está entre as prioridades nem tem previsão de ser analisado.


Soldados brasileiros são investigados por maus tratos no Haiti

 

A Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti) investiga denúncia de maus tratos cometidos por soldados das tropas brasileiras contra três jovens haitianos. A ONU anunciou que usará todos os meios a seu alcance “para esclarecer os fatos o mais rapidamente possível” e lembrou sua política de “tolerância zero” diante de atos de má conduta de seu contingente.

A denúncia se tornou pública anteontem durante entrevista coletiva da Rede Nacional de Defesa dos Direitos Humanos. Os três jovens teriam sido agredidos por um grupo de oito soldados brasileiros. Os fatos teriam ocorrido em Fort Dimanche, no centro de Porto Príncipe, onde os jovens haitianos foram golpeados por militares durante um conflito. A data da agressão não divulgada.

A Rede Nacional de Defesa dos Direitos Humanos condenou “os atos de agressão cometidos por soldados da Minustah, alguns dos quais foram já acusados de violação dos direitos de haitianos em várias cidades do país.”


Tumor na laringe de Lula regride 75%

 

A última sessão de quimioterapia do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para combater um câncer na laringe terminou sem nenhum imprevisto. Lula dormiu no hospital, onde se recupera do tratamento, realizado na noite de ontem. A expectativa é receber alta ainda hoje.

Lula chegou ao Hospital Sírio-Libanês pela manhã, onde foi submetido a uma série de exames para saber qual era o estado do tumor, diagnosticado em outubro com três centímetros de diâmetro. Ontem, a equipe médica do ex-presidente anunciou que o tumor regrediu 75%.

Em janeiro, Lula dará início a um tratamento diário de radioterapia, durante seis ou sete semanas, associado a pequenas sessões de quimioterapia, de efeito menos agressivo. A estimativa é que, em março, ele retome sua agenda política e volte a ter uma rotina normal.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.