Posts com tag “Gaddafi

Interpol emite alerta de prisão contra Gaddafi

A Interpol emitiu alertas vermelhos pela prisão do ex-líder da Líbia Muamar Gaddafi, o filho dele Seif al-Islam e o ex-chefe da inteligência militar Abdullah al-Senoussi. A medida foi tomada a pedido do promotor-geral do Tribunal Penal Internacional, Luis Moreno-Ocampo, que busca o trio sob suspeita de crimes contra a humanidade.

Gaddafi não é visto em público há meses e passou a se esconder após rebeldes contrários a seu regime tomarem Trípoli, em 21 de agosto.  A Interpol informou em comunicado nesta sexta-feira que transmitiu o alerta para seus 188 países-membros. Esse tipo de alerta é equivalente a estar na lista dos mais procurados da polícia internacional sediada em Lyon.

Há grande especulação na Líbia sobre o paradeiro do ditador. Rumores apontam que ele pode estar em um bunker em Trípoli, ou exilado no Níger ou na Argélia. Ontem, em uma mensagem de áudio, Gaddafi  pediu a seus aliados que sigam lutando pelo controle do país do norte da África. Desde o início dos conflitos, estima-se que mais de mil pessoas morreram na Líbia.

Anúncios

Líbia: rebeldes oferecem US$ 1,6 milhão por Gaddafi

O CNT (Conselho Nacional de Transição) anunciou recompensa de US$ 1,6 milhão –cerca de R$ 25 milhões– pela cabeça do ditador líbio Muammar Gaddafi, vivo ou morto. Desde o início dos conflitos na Líbia, há seis meses, o número de pessoas mortas já ultrapassou os 10 mil.

Ainda com paradeiro desconhecido, Gaddafi gravou novo discurso hoje, dessa vez convocando a população a “limpar” Trípoli dos rebeldes, a quem chamou de “ratos e traidores pagos pelos colonizadores”. Estima-se que os rebeldes têm, agora, o controle de 90% da cidade.

Na gravação, divulgada pelo canal sírio Al Rai, o ditador conclama “homens, mulheres, jovens e idosos a lutar contra os rebeldes na capital”. “Caminhei incógnito, sem que as pessoas me vissem, e observei jovens dispostos a defender a cidade”, contou o ditador, sem revelar quando fez o passeio.

Gaddafi, que está há 42 anos no comando da Líbia, é só mais um entre quase 40 ditadores que se impõem no poder ao redor do mundo. Cerca de 2 bilhões de pessoas vivem sob o regime ditatorial em todo planeta –um número assustador.

Mas ao que tudo indica, os povos começaram a se revoltar e não toleram mais o domínio de autocratas. Já foram depostos Zine El Abinine Bem Ali, da Tunísia, e Hosni Mubarak, do Egito. No Iêmen, o povo pede o fim do regime de Ali Abdullah Saleh, há 32 anos no governo, e na Síria a população quer tirar Bashar Assad do poder.


Tribunal internacional pede prisão de Gaddafi

A Promotoria do Tribunal Penal Internacional emitiu hoje uma ordem de prisão por crimes contra a humanidade contra o ditador líbio, Muammar Gaddafi, há 42 anos à frente do governo. O mandado pede ainda a detenção de Seif al Islam, filho mais velho de Gaddafi, e de Abdallah al Senusi, chefe dos serviços de inteligência do regime.

Promotores teriam reunido provas que comprovariam os crimes praticados por Gaddafi, além de evidências diretas do recrutamento de mercenários por Saif e de documentos que revelariam a participação de Al Senussi em ataques contra manifestantes. Desde o início dos conflitos na Líbia, o número de pessoas mortas já teria ultrapassado os 10 mil.

O TPI não possui forças policiais e depende dos países membros para realizar detenções. Gaddafi e vários de seus filhos já estavam em uma lista de nomes que a promotoria divulgou em fevereiro, na qual se identificava as pessoas que poderiam ser “máximos responsáveis” dos supostos crimes.

O mandato de prisão, assinado pelo promotor Luis Moreno Ocampo, será avaliado por juízes que devem decidir se emitem ou não a ordem contra os suspeitos.


“Milhares morrerão”, diz Gaddafi

O ditador líbio, Muammar Gaddafi, que ganhou várias páginas e até as capas das principais revistas nesta semana em todo o mundo, ameaçou hoje que milhares de pessoas morrerão caso os Estados Unidos ou a Otan decidam invadir o país.

Em seu discurso, ele culpou a rede terrorista Al Qaeda pelos protestos na Líbia. “Enfiaremos os nossos dedos nos olhos daqueles que duvidam que a Líbia é governada por qualquer um que não seu povo”, disse Gaddafi, que está há 42 anos à frente do governo.

A ideia de uma intervenção militar na Líbia ganhou força nos últimos dias, diante da resistência de Gaddafi de deixar o poder. Apesar da pressão internacional, ele mandou soldados para a área da fronteira, fazendo aumentar os receios de que a revolta se torne mais sangrenta.

No Iêmen, milhares de manifestantes, pedindo pelo fim do regime de Ali Abdullah Saleh, há 32 anos no governo, retomaram nesta semana os protestos. “Saia e leve sua corrupção com você”, gritavam. A oposição a Saleh foi galvanizada pelas revoltas no Egito e na Tunísia, que terminaram com a renúncia de seus então ditadores.

Acontece que os povos começaram a se revoltar contra os ditadores. Mas ainda restam cerca de 40 ao redor do mundo, com quase 2 bilhões de pessoas vivendo sob o domínio desses autocratas. Apenas 60% dos países são democracias. Infelizmente.