Posts com tag “IBGE

IBGE: brasileiras engravidam menos

As mulheres brasileiras têm menos filhos e adiam a primeira gravidez. Foi o que revelaram os Indicadores Sociais Municipais do Censo Demográfico 2010, divulgados hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em 2000, a média de filhos por mulher era 2,38 e, em 2010, caiu para 1,86.

A queda ocorreu em todas as regiões do Brasil. A menor taxa em 2010 foi verificada no Sudeste (1,66) e a maior taxa foi registrada no norte (2,42). A mais alta taxa entre os Estados ocorreu no Acre (2,77 filhos por mulher) e a menor foi no Rio de Janeiro (1,62).

De acordo com o IBGE, também caiu a proporção de nascimentos entre as mulheres mais jovens. Em 2000, 19% dos nascimentos ocorriam na faixa etária de 15 a 19 anos e 29% na faixa etária de 20 a 24 anos. Esses percentuais caíram para 18% e 27%, respectivamente.

Anúncios

Para 63% dos brasileiros, cor ou raça influencia na vida

63,7% dos brasileiros acreditam que a cor ou raça influencia na vida, seja nas relações sociais ou de trabalho. É o que revela levantamento divulgado hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas). O estudo inédito, denominado “Pesquisa das Características Étnico-Raciais da População: um Estudo das Categorias de Classificação de Cor ou Raça”, coletou informações em 15 mil residências de cinco estados e no Distrito Federal.

Entre as situações nas quais a cor ou raça tem maior influência, o trabalho aparece em primeiro lugar, com 71% das respostas. Logo em seguida, os brasileiros apontaram que a cor e raça interferem “na relação com justiça ou a polícia”, citada por 68,3% dos entrevistados. Para 65%, estes fatores também interferem no convívio social e para 59,3%, cor e raça são fatores que atuam na maneira das pessoas agirem nas escolas.

Dos entrevistados, 96% afirmam saber a própria cor ou raça –branca, preta, parda, amarela e indígena. Dos cinco estados pesquisados, o maior percentual de pessoas que acredita que a raça ou a cor influencia na vida foi registrado no Distrito Federal (77%) e o menor no Amazonas (54,8%). Os dados não podem afirmar se o brasileiro acredita que há preconceito pela cor ou raça, mas dão uma boa base para pressupor tal realidade.


Brasil tem 16,27 milhões de pessoas em extrema pobreza

O Brasil tem 16,27 milhões de pessoas em situação de extrema pobreza –8,5% da população. Na prática, um a cada 10 brasileiros vive com menos de R$ 70 por mês. A identificação foi feita pelo IBGE (Instituto de Geografia e Estatística) para orientar o programa “Brasil sem Miséria”, que será lançado nas próximas semanas pela presidente Dilma Rousseff.

Das pessoas em situação de pobreza extrema, 4,8 milhões têm renda nominal mensal domiciliar igual a zero e 11,43 milhões, renda de R$ 1 a R$ 70 por mês. Segundo o levantamento, a grande maioria dos brasileiros em situação de miséria é parda ou negra, tanto na área rural quanto na área urbana –46,7% das pessoas na linha de extrema pobreza residem em área rural.

A região Nordeste concentra a maior parte dos extremamente pobres –9,61 milhões de pessoas ou 59,1%. A região Sudeste tem 2,72 milhões de brasileiros em situação de miséria, seguido pelo Norte, com 2,65 milhões, pelo Sul (715,96 mil), e o Centro Oeste (557,44 mil).

Segundo a ministra Tereza Campello, o governo federal será capaz de erradicar quase que por completo a extrema pobreza em quatro anos. “A ideia é de que estamos fazendo um esforço extraordinário do governo federal, dos governos estaduais e dos municípios para erradicar a extrema pobreza. Não estamos falando de um plano que continuará, mas de uma força-tarefa”, disse.

A ministra explicou que os programas sociais que beneficiam famílias pobres com renda superior a R$ 70 continuarão, como o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida. Para demilitar os brasileiros que vivem em condição de extrema pobreza, o governo utilizou dados preliminares do Censo Demográfico de 2010.