Posts com tag “otimismo

Aumenta otimismo do brasileiro sobre o país

Estudo divulgado hoje pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) mostra que os brasileiros seguem otimista quanto à situação socioeconômica do país. O Índice de Expectativas das Famílias subiu 1,7 ponto em agosto em relação a julho, passando de 63,5 para 65,2 pontos –o otimismo se configura com o nível acima de 60 pontos.

O otimismo do brasileiro captado pelo IEF é evidenciado também pela intenção de consumo das famílias. Mais da metade –56,8%– afirmou em agosto que estava em um momento propício para adquirir bens duráveis, contra 38,3% das famílias que discordaram dessa avaliação. Além disso, 80,4% se consideraram seguros em seus postos de trabalho.

O levantamento do Ipea, realizado em 3.810 domicílios de 200 municípios em todo o país, mostra ainda que 56,8% dos pesquisados acreditam que o Brasil passará por melhores momentos nos próximos 12 meses. O número é 3,6 pontos porcentuais maior que o verificado no mês anterior (53,2%). Para o médio prazo (até 5 anos), aqueles que acham que a situação brasileira estará melhor passou de 53% em julho para 56,4% em agosto.

A pesquisa revela ainda que 73,8% das famílias pesquisadas afirmaram que estão em melhor situação financeira que há um ano. Na projeção para o próximo ano, 81,6% dos consultados em agosto acreditam que sua situação financeira vai melhorar. Em relação ao endividamento, os índices mostram estabilidade: 9,7% se consideram muito endividados, ante 9,2% em julho, e 52,2% afirmam não possuir dívidas, ante 52% no mês anterior.

Anúncios

O lado negro do otimismo

Ser otimista pode ser um problema. É o que concluiu uma neurocientista israelense que estudou o lado negro do pensamento positivo. Tali Sharot defende que certo tipo exagerado de atitude esperançosa pode levar a enormes erros de cálculo, criar falsas expectativas e subestimar riscos. Resumindo, a pessoa corre o risco de se dar muito mal.

Explico: a cientista estudou como o viés positivo se forma no cérebro registrando as atividades de voluntários enquanto eles imaginavam eventos futuros e passados. Descobriu que a maioria das pessoas, cerca de 80%, acha que o futuro será melhor, imagina cenas hollywoodianas. E isso é ruim? Depende.

Se ser tão otimista nos torna uma pessoa deslumbrada, que acha que não corre o risco de ter câncer, que não vai se divorciar ou perder o emprego, isso é um problema. O otimismo não pode negligenciar riscos e ser muito otimista é o mesmo que fugir da realidade.

Mas há explicação para toda essa onda de positivismo. Sem o otimismo, ninguém atravessaria a rua. É a forma que a espécie encontrou para seguir em frente, enfrentar o presente, a vida. A filosofia também explica: é porque temos fé. Se não tivéssemos, não comeríamos fora de casa e nem beberíamos água, porque pode estar contaminada.

O que não podemos é viver num mundo de fantasia para falsear a realidade, para evitar o sofrimento. A realidade é uma só e é essencial para o nosso futuro. O pessimismo faz parte da vida e há quem defenda sua importância. Dizem que o pessimista, por exemplo, nunca cometeria um suicídio porque sabe que o mundo não é bom. Já o otimista imagina um mundo perfeito e, quando acontece uma tragédia, não aguenta e se mata. Há certo fundamento nisso. Não acha?